CartaExpressa

Reações adversas à cloroquina disparam e chegam a 558%

Medicamentos do ‘kit covid’ não possuem eficácia comprada contra o coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro exalta a cloroquina. Foto: AFP
O presidente Jair Bolsonaro exalta a cloroquina. Foto: AFP

As notificações por efeitos adversos decorrentes do uso de medicamentos do  “kit Covid“, como hidroxicloroquina, dispararam em 2020 na comparação com o ano anterior.

Segundo levantamento feito pelo jornal O Globo, ao menos nove mortes foram notificadas, todas após março deste ano.

No caso da cloroquina, medicamento recomendado pelo presidente Jair Bolsonaro, o aumento nas notificações por efeitos adversos foi de 558%.

A pesquisa foi feita com base no Painel de Notificações de Farmacovigilância mantido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em 2019, a cloroquina estava na sétima posição na lista dos medicamentos responsáveis por notificações de efeitos adversos. Em 2020, a cloroquina passou para a primeira posição.

Do total de eventos adversos notificados, 96% se concentram no Amazonas, um dos estados que mais sofreram com a pandemia. Entre os principais efeitos adversos notificados estão: distúrbios dos sistemas nervoso, gastrointestinal, psiquiátrico e cardíaco.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!