CartaExpressa

PT de São Paulo diz que não abrirá mão da candidatura de Haddad: ‘O PSOL nunca nos apoiou’

‘Se alguém tem que retirar para alguém, não seria a candidatura do Haddad’, avalia Luiz Marinho, presidente do PT paulista

Guilherme Boulos e Fernando Haddad. Fotos: Divulgação e Ricardo Stuckert
Guilherme Boulos e Fernando Haddad. Fotos: Divulgação e Ricardo Stuckert

O presidente estadual do PT em São Paulo, Luiz Marinho, rechaçou nesta terça-feira 19 a possibilidade de o partido abrir mão da candidatura de Fernando Haddad ao governo paulista para apoiar Guilherme Boulos.

Em setembro, após seu 7º Congresso Estadual, o PSOL anunciou que Boulos será o postulante da sigla ao Palácio dos Bandeirantes. Em 2020, o líder do MTST chegou ao 2º turno das eleições para a Prefeitura da capital paulista.

“Qual é a pré-candidatura que tem a maior possibilidade de chegada? É a candidatura do PSOL, do PT? Hoje, o que está muito claro é que o Haddad tem maior possibilidade. Então se alguém tem que retirar para alguém, não seria a candidatura do Haddad”, disse Marinho ao site Metrópoles.

O petista, ex-ministro do Trabalho, ainda disse que o PSOL “nunca apoiou” o PT.

“‘Ah, o Boulos apoiou o Lula, apoiou a Dilma’. Apoiou quando? Apoiou contra o impeachment e contra a prisão, a condenação, e nem todo o PSOL apoiou. Tem psolista até agora apoiando lavajatista. Então, é preciso deixar muito claro essas questões para botar os pingos nos is em relação a esse debate. É um direito legítimo o PSOL pensar em ter candidato, como era um direito legítimo do PT ter candidato na capital em 2020. E imediatamente anunciado o resultado, anunciamos apoio ao Boulos. E deve ser assim. A gente espera que seja assim com todos os partidos de esquerda. E nem todos têm agido assim, vide as viagens a Paris quando anuncia-se o resultado das urnas”.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!