CartaExpressa

Prefeitura não conclui cadastro e moradores de Porto Alegre ficam sem Auxílio Reconstrução

Liberação do pagamento do benefício do governo federal depende do envio dos dados oficiais de atingidos pela tragédia; prefeitura da capital promete resolver a questão nesta terça

Forte chuva atinge a cidade de Porto Alegre desde a madrugada desta quinta-feira 23. Créditos: Anselmo Cunha / AFP
Apoie Siga-nos no

Os moradores de Porto Alegre ainda não estão habilitados para receber os 5,1 mil reais do Auxílio Reconstrução do governo federal. A explicação para o ‘atraso’ está na demora da Prefeitura, comandada por Sebastião Melo (MDB), em concluir o cadastro dos afetados no sistema nacional.

A liberação dos valores, conforme citado, depende do envio de dados dos moradores aptos a receber o auxílio. Os dados devem ser enviados oficialmente pelas prefeituras.

O programa do governo federal é destinado às famílias atingidas pelas enchentes que assolaram o Rio Grande do Sul desde o fim de abril.

O primeiro lote de pagamentos foi liberado nesta segunda-feira 27. Porto Alegre, porém, não concluiu os cadastros.

A estimativa é de que 150 mil habitantes tenha sido prejudicados pelos temporais e enchentes. Até agora, o benefício já foi aprovado par 44,5 famílias, de 15 cidades gaúchas.

Segundo a prefeitura de Porto Alegre, as equipes estão, neste momento, trabalhando para organizar os dados obtidos junto à população. A previsão é de que os cadastros sejam repassados à União até o final desta terça-feira 28.

Em Canoas, um dos municípios da Região Metropolitana mais atingidos pela tragédia, 68 mil famílias se candidataram ao benefício, dessas, 42 mil já tiveram o pagamento aprovado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.