CartaExpressa,Política

Por negociarem com antecedência, governadores do Nordeste pagarão mais barato pela Sputnik V que o governo federal

Por negociarem com antecedência, governadores do Nordeste pagarão mais barato pela Sputnik V que o governo federal

Consórcio pagará US$ 9,95 por cada dose, na compra de 39 milhões de doses. Ministério da Saúde pagará US$ 13 e conseguirá somente 10 milhões

Wellington Dias (PT-PI), Camilo Santana (PT-CE), Flávio Dino (PCdoB-MA) e Fátima Bezerra (PT-RN) em edição do 'Diálogos Capitais'. Foto: Wanezza Soares

Wellington Dias (PT-PI), Camilo Santana (PT-CE), Flávio Dino (PCdoB-MA) e Fátima Bezerra (PT-RN) em edição do 'Diálogos Capitais'. Foto: Wanezza Soares

Governadores do Nordeste pagarão um preço mais baixo que o Ministério da Saúde na compra da vacina Sputnik V, da Rússia, segundo informou o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). O valor foi possível porque o Consórcio Nordeste, coalizão dos governadores da região, celebrou o acordo com maior antecedência.

De acordo com o petista, o Consórcio Nordeste pagará 9,95 dólares por cada dose da Sputnik V, na compra de 39 milhões de doses. Já o Ministério da Saúde pagará 13 dólares e conseguirá somente 10 milhões de doses.

Ele explicou que, no ano passado, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), fez um memorando de compra para 50 milhões de doses. À época, ele era o presidente do Consórcio Nordeste. No entanto, a coalizão esbarrou na lei, que não autorizava compras de vacinas que não passassem pelo Ministério da Saúde.

Agora, disse ele, o bloco foi beneficiado pela decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, e pela sanção da lei que permite a compra descentralizada. Porém, a Rússia ofertou apenas 39 milhões de doses neste momento.

“Na verdade, o que tem de vantagem é o fato de termos feito esse contrato de opção de compra”, disse Dias, nesta sexta-feira 12, em entrevista à CNN Brasil.

A vacina russa é produzida pelo laboratório União Química. Os imunizantes devem ser distribuídos por todo o Brasil, segundo o Consórcio.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem