CartaExpressa

PF abre inquérito para apurar ameaças de morte a Guilherme Boulos

O pedido de investigação não foi direcionado à Polícia de São Paulo porque um integrante das forças de segurança pública do estado estaria envolvido

Boulos criticou o atual prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) pelo PSOL. Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

A Polícia Federal abriu inquérito para apurar ameaças de morte que têm sido direcionadas ao deputado federal Guilherme Boulos (PSOL), pré-candidato à Prefeitura de São Paulo.

A investigação foi aberta depois que Boulos recorreu ao diretor-geral da PF, Andrei Passos Rodrigues, via representação, narrando os fatos.

Segundo informações do Poder 360, que teve acesso ao documento, a defesa do parlamentar destaca que as ameaças direcionadas ao pré-candidato tentam “minar suas atividades como parlamentar e suas novas pretensões no Poder Executivo paulistano“.

O pedido de investigação não foi direcionado à Polícia de São Paulo porque, também de acordo com a defesa, um integrante das forças de segurança pública do estado de São Paulo estaria envolvido nas ameaças.

Boulos tem recebido as seguintes mensagens nas redes sociais: Morra“, “vai morrer“, “se falar mais besteira, vou ter que te levar para o inferno”, entre outras.

Como medida de segurança, o parlamentar foi orientado a deixar o Celta que sempre utilizava em suas agendas, e passou a usar um carro blindado. A informação também foi confirmada pela equipe do deputado à CartaCapital.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.