CartaExpressa

Pazuello: não seguimos orientações da OMS porque não éramos obrigados

Pazuello: não seguimos orientações da OMS porque não éramos obrigados

'Eles não impõem nada para nós. Somos soberanos', disse o ex-ministro da Saúde em depoimento à CPI da Covid

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello confirmou nesta quarta-feira 19, em depoimento à CPI da Covid, que o governo federal não seguia as recomendações da Organização Mundial de Saúde.

“A OMS e a OPAS estavam presente diariamente conosco no ministério. Eles não impõem nada para nós. Não somos obrigados a seguir nenhum tipo de orientação. Somos soberanos”, justificou o general.

“As posições da OMS não eram contínuas. Usávamos para amparar nosso processo decisório. Ficou decidido no país que medidas restritivas ficavam a cargo dos estados”, acrescentou o ex-ministro.

De acordo com Pazuello, as orientações seguidas eram as “do ministério”.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem