CartaExpressa

Partidos se unem contra voto impresso em resposta à ameaça de Braga Netto

‘Essa coisa [ameaça] acaba reforçando a articulação contra’, garante ACM Neto, presidente do DEM

FOTO: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL FOTO: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL
FOTO: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL FOTO: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

Em resposta à ameaça do ministro da Defesa, Walter Braga Netto, de que sem voto impresso não haverá eleições em 2022, presidentes de partidos se articulam para reprovar a proposta o quanto antes, ainda na comissão especial da Câmara que analisa o tema.

O movimento contrário ao voto impresso já existia e era formado por diversas legendas, incluindo algumas da base bolsonarista. Mas, com as ameaças do general reveladas na quinta-feira 22, líderes do DEM, MDB, PSD, PSDB e Solidariedade decidiram ampliar a articulação contra o tema.

Na semana passada, o deputado bolsonarista Paulo Eduardo Martins (PSC-PR), em uma manobra regimental, conseguiu adiar a sessão de votação na comissão. A intenção era ganhar tempo para tentar evitar a reprovação.

Com a ameaça governista, porém, os presidentes das legendas se movimentam para evitar que a manobra se repita. Com a articulação, a principal bandeira política de Bolsonaro corre sérios riscos de nem chegar ao Plenário.

“Essa coisa do Braga Netto acaba reforçando a articulação contra”, explicou ACM Neto, presidente do DEM, ao jornal O Estado de S. Paulo.

A articulação também foi confirmada por Fábio Trad, deputado federal pelo PSD e integrante da comissão. O parlamentar destaca que o projeto já não era visto com bons olhos na Casa e que o episódio aumentou ainda mais a objeção ao tema:

“Esta ameaça do Braga Netto aumentou a indisposição com a PEC”, destacou o congressista.

Sem o voto impresso, Bolsonaro e aliados já afirmaram diversas vezes que não haverá eleições. O presidente cogita até nem concorrer ao pleito se o sistema não for implementado, como confirmou recentemente reportagem de CartaCapital.

(Com informações da Agência Estado)

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!