CartaExpressa

Morre Léon Lima, o pai do ministro Alexandre de Moraes, aos 80 anos

A informação foi divulgada pelo ministro Luís Roberto Barroso em audiência do Conselho Nacional de Justiça

Brasília (DF), 29/06/2023 - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, durante sessão que retoma o julgamento da ação (Aije nº 0600814-85) que pede a inelegibilidade de Jair Bolsonaro e de Walter Braga Netto, candidatos à Presidência da República nas Eleições 2022. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Léon Lima de Moraes, o pai do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), morreu, nesta terça-feira 28, aos 80 anos.

A morte foi comunicado pelo presidente do STF, o ministro Luís Roberto Barroso, durante a abertura da sessão do Conselho Nacional de Justiça desta terça.

“Eu registro, com grande pesar, a notícia do falecimento do pai do meu querido amigo Alexandre de Moraes, cuja informação recebi agora pela manhã”, disse Barroso.

“Aos familiares, em nome do CNJ, eu mando um abraço carinhoso para o Alexandre de Moraes, após um momento de luto e tristeza”, completou o ministro.

A família Moraes também recebeu solidariedade da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na mesma sessão do Conselho.

“Deixo o registro, em nome da Ordem dos Advogados do Brasil, da solidariedade e do desejo de grande conforto a todos os familiares, especialmente ao ministro Alexandre de Moraes”, afirmou Mansou Elias Karmouche, representante da entidade no colegiado.

A causa da morte de Léon Lima não foi divulgada. O ministro ainda não comentou o falecimento.

Uma cerimônia restrita aos familiares está programada para acontecer em São Paulo nesta terça-feira.

A despedida de Moraes como ministro e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está marcada para esta quarta-feira 29. O tribunal ainda não soube informar se a sessão será adiada.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.