CartaExpressa

Ministério da Saúde já enviou 25 toneladas de medicamentos e insumos ao RS

Nos últimos dias, a pasta enviou cem kits de medicamentos e insumos, com capacidade para atender a até 1.500 pessoas durante um mês

Créditos: Ministério da Saúde
Apoie Siga-nos no

O Ministério da Saúde já enviou um total de 25 toneladas de medicamentos ao Rio Grande do Sul em meio à catástrofe das enchentes no estado.

A informação foi divulgada na tarde desta segunda-feira, 13 de maio, no Hospital Conceição, em Porto Alegre, durante entrevista coletiva para rádios regionais.

Nos últimos dias, a pasta enviou cem kits de medicamentos e insumos, com capacidade para atender a até 1.500 pessoas durante um mês. O ‘kit emergencial’ considera, além de remédios, luvas, seringas, ataduras, e outros insumos. No ano passado, foram distribuídos 106 kits para emergências no País.

Ainda de acordo com a pasta, o volume não considera outros repasses de medicamentos, vacinas e insumos enviados para repor os estoques perdidos com as enchentes e os que já estavam previstos na rotina.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar