CartaExpressa

‘Meu partido é o de Lula’, diz Randolfe em meio à possibilidade de voltar ao PT

O senador foi filiado ao partido até o início dos anos 2000, quando se juntou ao PSOL

Cerimônia do Minha Casa, Minha Vida, em Macapá (AP), em 18 de dezembro de 2023. Foto: Ricardo Stuckert/PR
Apoie Siga-nos no

O líder do governo no Congresso Nacional, senador Randolfe Rodrigues (AP), afirmou que seu partido “é o partido de Lula”, em meio à possibilidade de voltar ao PT, legenda à qual já foi filiado. Em maio, o parlamentar se desligou da Rede Sustentabilidade.

Em 1998, no PT, Randolfe se elegeu deputado estadual pelo Amapá e se reelegeu quatro anos depois. Em 2005, ele deixou o partido e se filiou ao PSOL, ao qual permaneceu filiado até 2015.

Nesta segunda-feira 18, durante um ato em Macapá (AP) ao lado do presidente Lula (PT), Randolfe afirmou que “casamento com partido é igual casamento da gente: às vezes está junto, às vezes decide separar”.

“Me perguntam qual a minha escolha. Eu respondo em primeira mão para o senhor e para todos os que estão ouvindo: o meu partido é o partido de Lula. Eu estarei no partido de Lula, onde ele estiver”, declarou o senador. “Porque eu estou ao lado da maior liderança política da história deste País.”

A afirmação foi proferida durante a entrega de unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar