CartaExpressa

Mensagens mostram que Bolsonaro sabia da negociação de vacinas

Mensagens mostram que Bolsonaro sabia da negociação de vacinas

A TV Globo revelou citação em que Dominguetti afirma que o presidente tinha conhecimento sobre oferta de imunizantes ainda em março

Dominguetti tna CPI da Covid (FOTO: )

Dominguetti tna CPI da Covid (FOTO: )

O cabo da Polícia Militar Luiz Paulo Dominguetti afirmou, em troca de mensagens datada de março deste ano, que o presidente Jair Bolsonaro sabia das tratativas sobre a aquisição de vacinas entre a empresa que representava, a Davati Medical Supply e o governo federal.

A citação ao presidente aparece em uma mensagem obtida no celular do representante, apreendido durante depoimento prestado por ele na CPI da Covid. As conversas foram reveladas pelo Jornal Nacional, da TV Globo.

Outras mensagens que apontam que Dominguetti negociava sua comissão por dose de imunizante já haviam sido relevadas pelo Fantástico, no domingo 4.

Segundo o apurado, ele receberia 0,25 centavos de dólar pela venda. Em uma conversa de 16 de março, Dominguetti afirma que enviou a proposta para o então secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco.

“Já houve três reuniões. Na última sexta-feira com o secretário Franco e um coronel. O dono da Davati enviou o e-mail pessoalmente. Segundo informações, o próprio presidente Bolsonaro já foi informado das vacinas”, afirmou em uma das mensagens.

Não fica claro ainda quem teria informado o presidente Bolsonaro sobre o esquema. Segundo o Jornal Nacional, o interlocutor das conversas também não foi identificado.

No dispositivo, também foram encontradas mensagens de fevereiro trocadas pelo cabo da MP de Minas Gerais com uma pessoa identificada como Guilherme Filho Odilon. Nelas, os dois discutiam como seria dividida a comissão pelo pagamento dos imunizantes. À CPI da Covid, Dominguetti já havia citado Odilon como sendo seu parceiro comercial, afirmando que ele seria o responsável por lhe apresentar ao tenente-coronel Marcelo Blanco.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem