CartaExpressa

Lula diz que Edinho Silva, de Araraquara, é o melhor prefeito do Brasil

O prefeito é um dos favoritos à sucessão de Gleisi Hoffmann na presidência do PT

Cerimônia de assinatura da Ordem de Serviço das Obras de Macrodrenagem e Reurbanização de Áreas Afetadas por Enchentes, em Araraquara (SP), em 24 de maio de 2024. Foto: Ricardo Stuckert/PR
Apoie Siga-nos no

O presidente Lula (PT) afirmou nesta sexta-feira 24 não haver no País um prefeito melhor que Edinho Silva (PT), de Araraquara, no interior de São Paulo.

A declaração foi proferida durante um pronunciamento na assinatura da ordem de serviço para início das obras de macrodrenagem e reurbanização de áreas afetadas por enchentes no município.

“Araraquara tem um prefeito que, se você pegar os 5,7 mil prefeitos neste País, você não vai encontrar nenhum melhor que o companheiro Edinho, nenhum mais qualificado, mais preparado”, afirmou Lula.

Edinho Silva é um dos favoritos à sucessão de Gleisi Hoffmann na presidência do PT.

Em Araraquara, Lula anunciou a projeção de investir 143 milhões de reais em obras de saneamento integrado nas bacias Ribeirão do Ouro, Córrego da Servidão, Córrego Capão do Paiva e afluentes. A ideia é construir, inclusive, uma lagoa de retenção, para prevenir inundações na cidade.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar