CartaExpressa,Política

Lula critica ações judiciais contra quem chama Bolsonaro de ‘genocida’: ‘Preferiu vender mentiras enquanto milhares morrem’

Lula critica ações judiciais contra quem chama Bolsonaro de ‘genocida’: ‘Preferiu vender mentiras enquanto milhares morrem’

'Ele poderia ser chamado de salva-vidas se tivesse sido responsável'

Foto: Kássio Geovanne

Foto: Kássio Geovanne

O ex-presidente Lula usou as redes sociais nesta sexta-feira 19 para criticar as ações judiciais contra pessoas que se referem ao presidente Jair Bolsonaro como “genocida”.

“É um ato de provocação à liberdade de manifestação mandar prender alguém por chamar Bolsonaro de genocida”, escreveu o petista. “Ele poderia ser chamado de salva-vidas se tivesse sido responsável, mas preferiu sair vendendo mentira e remédio sem efeito, enquanto milhares morrem por sua incompetência”.

O episódio mais recente foi registrado na quinta-feira 18, quando cinco manifestantes foram detidos no Distrito Federal após estenderem um cartaz que associava o presidente Jair Bolsonaro a uma suástica, acompanhada da palavra “genocida”.

Quatro deles foram liberados ainda na quinta-feira, mas Rodrigo Grassi foi encaminhado na manhã desta sexta para o Complexo da Papuda, no DF, devido um processo de desacato aberto em 2014.

Também na quinta-feira, a Justiça do Rio de Janeiro suspendeu a investigação da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática contra o youtuber Felipe Neto, que tinha depoimento marcado por chamar Bolsonaro de “genocida”.

youtuber também lançou um projeto para defender gratuitamente pessoas que forem investigadas ou processadas por protestarem contra o governo federal.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem