CartaExpressa

Lira não se move pela opinião pública, diz deputado sobre impeachment

Parlamentar do Centrão não acredita que manifestações deste sábado 3 farão diferença: ‘A relação do Arthur com o governo é muito pragmática’

FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Um influente deputado federal, em conversa com CartaCapital na manhã deste sábado 3, disse não acreditar que as manifestações marcadas para hoje contra Jair Bolsonaro surtirão algum efeito para que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), acate algum dos mais de 100 pedidos de impeachment contra o chefe do Poder Executivo.

“Não acho que pressionem. A relação do Arthur com o governo é muito pragmática e ele não é de se mover por opinião pública”, afirmou o parlamentar que preferiu não ser identificado.

“Além disso, o Arthur tem hoje uma ascendência muito grande sobre os líderes e os deputados estão desmobilizados nos seus estados”, acrescentou.

Neste sábado, ao menos 361 atos foram confirmados contra o presidente em diversas cidades do País.

No exterior, são monitoradas mobilizações na Alemanha, Áustria, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Itália, Portugal, Reino Unido e Suíça.

Os protestos foram marcados após dois atos massivos realizados em 29 de maio e 19 de julho. A 3ª manifestação ocorreria apenas em 24 de julho, mas os organizações decidiram antecipá-la após o escândalo da Covaxin.

Na quarta-feira 30, uma frente que reúne parlamentares de direita e esquerda além de movimentos sociais protocolou um superpedido de impeachment contra Bolsonaro. O movimento, que tem como objetivo pressionar Lira, ainda não foi bem sucedido.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!