CartaExpressa

Lira decreta luto na Câmara após morte de deputada bolsonarista Amália Barros

Deputada faleceu após dias hospitalizada para a retirada de um nódulo no pâncreas

Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), decretou luto oficial de um dia na Casa de Leis após a morte da deputada federal Amália Barros (PL-MT), neste fim de semana.

O ato foi divulgado no perfil da Câmara nas redes sociais. A homenagem prevê o hasteamento da bandeira nacional a meio-mastro.

A deputada faleceu neste domingo, 12, em São Paulo. Ela tinha 39 anos e era vice-presidente do PL Mulher, ao lado da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Amália estava internada desde o início do mês para a retirada de um nódulo no pâncreas.

Horas antes da morte, a assessoria da parlamentar informou que ela passaria por uma nova cirurgia, ainda no sábado, para tratar de complicações no fígado.

A cadeira deixada por Amália será ocupada pelo ex-deputado Nelson Barbudo, primeiro suplente do PL em Mato Grosso.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.