CartaExpressa

Lava Jato: Fachin encerra inquérito contra Renan Calheiros e Romero Jucá em caso da Odebrecht

Ministro atendeu a pedido da PGR, que considerou que não tinha elementos para oferecer denúncia

O ministro Edson Fachin, do STF e do TSE. Foto: Nelson Jr./SCO/STF
Apoie Siga-nos no

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, decidiu, nesta terça-feira 21, arquivar um inquérito contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o ex-senador Romero Jucá (MDB-RR). 

A investigação, que começou a tramitar em 2017 e ocorria no âmbito da Lava Jato, dizia respeito a um suposto recebimento de propina da ordem de 5 milhões de reais. A empresa envolvida era a Odebrecht.

A decisão atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República, que tentou fazer com que o inquérito fosse prorrogado antes, em pedido negado pelo relator. Assim, segundo o órgão, não tinha mais como avançar nas investigações.

O órgão reconheceu que os elementos obtidos no inquérito não eram suficientes para que se oferecesse denúncia contra Renan e Jucá. Assim, a “investigação não logrou êxito em comprovar concretamente a solicitação ou recebimento de vantagem indevida”, segundo a PGR.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar