CartaExpressa

Kit Covid faz farmacêuticas faturarem mais de R$ 1 bilhão, diz jornal

Kit Covid faz farmacêuticas faturarem mais de R$ 1 bilhão, diz jornal

Comissão investiga possível relações das empresas com o governo federal e integrantes do ‘gabinete paralelo’

O presidente Jair Bolsonaro, durante cerimônia de posse de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro, durante cerimônia de posse de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. Foto: Reprodução

O ineficaz ‘kit Covid’, defendido com unhas e dentes pelo governo Bolsonaro e pelo chamado ‘gabinete paralelo’, fez farmacêuticas aumentarem seu faturamento em até sete vezes durante a pandemia, chegando a mais de 1 bilhão de reais em alguns casos. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

Os dados de faturamento constam em documentos oficiais encaminhados à CPI da Covid no Senado. Nos materiais, sete empresas embolsaram 482 milhões de reais até maio de 2021 com a venda dos medicamentos do ‘kit’, como a cloroquina e a ivermectina. Antes da pandemia a média era de 180 milhões.

 

 

São elas: EMS, Farmoquímica, Momenta Farmacêutica, Abbott, Sandoz, Cristália e Supera Farma.

Outras três empresas podem ter chegado a faturamentos superiores a 1 bilhão de reais, segundo aponta a reportagem. São elas: Apsen, Vitamedic e Brainfarma.

Um requerimento já foi aprovado pela CPI para apurar possíveis relações entre as farmacêuticas e o governo federal. A comissão também investiga ligações entre as empresas e integrantes do chamado ‘gabinete paralelo’. O pedido é dos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Humberto Costa (PT-PE).

Segundo o levantamento, há empresas em que a venda de medicamentos do ‘kit Covid’ aumentou em mais de 1.000%. É o caso da Vitamedic que comercializou 1.230% mais ivermectina do que no ano anterior.

Em outros casos, como na EMS, o crescimento do faturamento ultrapassa os 700% em apenas um ano. Só em 2020 a empresa embolsou 142 milhões com a venda dos medicamentos.

As farmacêuticas negam comercializar ou incentivar o uso ‘kit Covid’. As empresas também informaram que o uso dos medicamentos deve se limitar ao que consta na bula e que eles não devem ser usados contra a Covid-19. O crescimento nas vendas, por sua vez, é atribuído a uma procura espontânea pelos medicamentos.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem