CartaExpressa

Juscelino Filho teria utilizado emendas para beneficiar fazenda no MA, aponta jornal

O caso remete ao período em que o atual ministro das Comunicações era deputado federal; defesa diz que denúncias são ‘absurdas ilações’

O ministro das Comunicações, Juscelino Filho. Foto: José Cruz/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Dois convênios realizados com emendas do atual ministro das Comunicações, Juscelino Filho, teriam beneficiados uma propriedade do próprio político. Somados, os valores totalizam 10 milhões de reais e se baseiam em recursos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). Além disso, o atual ministro teria utilizado recursos estatais para beneficiar uma empresa própria. As informações, publicadas nesta quinta-feira 23, são do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a publicação, um dos convênios bancou a recuperação de uma estrada que liga a cidade de Vitorino Freire (MA) e uma propriedade da família de Juscelino Filho, conhecida como Fazenda Alegria. O município maranhense é um reduto eleitoral do ministro. Já o segundo convênio teria custeado um contrato para pavimentar a via. 

No último mês de setembro, a irmã dele, Luanna Rezende, chegou a ser alvo de uma operação da Polícia Federal (PF) contra supostos desvios da Codevasf para a mesma finalidade: asfaltar uma rodovia que beneficiava a propriedade da família. Pouco tempo depois, ainda em setembro, Rezende foi reconduzida à prefeitura por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os dois convênios datam do período em que Juscelino Filho era deputado federal e ainda não integrava o governo Lula (PT). Segundo a matéria, a primeira emenda, por exemplo, foi calculada no valor de 2,56 milhões de reais, e foi responsável por recuperar a estrada que liga o distrito de São João do Grajaú ao povoado de Estirão, onde fica a fazenda de Juscelino Filho. Os recursos foram utilizados entre 2017 e 2019. 

O suposto uso dos recursos não beneficiou apenas a propriedade, porém. Segundo a publicação, a obra teria sido executada pela empresa Arco Construção, que, segundo a PF, também é de propriedade de Juscelino Filho. O atual ministro nega que seja dono da Arco Construção.

Ao jornal, a defesa de Juscelino Filho disse que considera “absurdas as ilações de que Juscelino tenha tido qualquer proveito pessoal com sua atividade parlamentar”. Segundo os advogados, “trata-se de mais um ataque na tentativa de criminalizar as emendas parlamentares, um instrumento legítimo e democrático do Congresso Nacional, enquanto não há absolutamente nada que desabone a atuação de Juscelino Filho no Ministério das Comunicações”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar