CartaExpressa

Josué Gomes pede afastamento da presidência da Fiesp

O empresário é diretor-presidente da Coteminas, que entrou em recuperação judicial no início de maio

Josué Gomes da Silva chegou a ser cotado para o Ministério da Indústria - Imagem: Suamy Beydoum/Agif/AFP
Apoie Siga-nos no

O empresário Josué Gomes da Silva pediu afastamento da presidência da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, a Fiesp. Em seu lugar, assume por 40 dias Dan Ioschpe, 2º vice-presidente da entidade.

A transmissão de cargo ocorreu em 8 de maio, mas só foi divulgada nesta quinta-feira 23.

A Federação ainda não divulgou os motivos para a saída temporária de seu comandante. Josué Gomes, no entanto, é diretor-presidente da Coteminas, que entrou em recuperação judicial no início de maio.

O objetivo da recuperação, de acordo com um fato relevante divulgado pela empresa, é “garantir a preservação das atividades empresariais e de ativos das Companhias e suas controladas, que ficariam sujeitas a dano irreparável”.

Josué Gomes da Silva é filho de José Alencar (1931-2011), vice-presidente da República nos dois primeiros mandatos de Lula (PT).

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar