CartaExpressa

‘Guru’ de Moro diz que auxílio emergencial foi pago a mais pessoas do que deveria

‘Quer dizer, tinha gente que não tinha que receber’, afirmou Affonso Celso Pastore em audiência na Câmara dos Deputados

Foto: Reprodução/TV Câmara
Foto: Reprodução/TV Câmara

‘Guru’ de Sergio Moro, provável candidato do Podemos à Presidência, o economista Affonso Celso Pastore afirmou nesta quinta-feira 18 que o auxílio emergencial de 600 reais foi pago a mais brasileiros do que deveria, durante a pandemia.

Pastore participou de uma audiência do Centro de Estudos e Debates Estratégicos da Câmara dos Deputados, intitulada “A Teoria Monetária Moderna e a Dívida Pública”.

“Em um país que é avaliado por um economista que é o criador do Bolsa Família, chamado Ricardo Paes de Barros, que estima a pobreza absoluta no País, olhando por cima, em algo como 25 milhões de habitantes, foi dado (sic) 600 reais para 66 milhões de pessoas. Quer dizer, tinha gente que não tinha que receber”, disse Pastore na sessão.

Na última quarta-feira 17, Sergio Moro afirmou, em entrevista à TV Globo, que Pastore é uma espécie de conselheiro econômico.

O problema é que esse projeto ainda está sendo construído e a partir do momento em que se revelam nomes, as pessoas ficam sob uma pressão terrível”, disse o ex-juiz e ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro. “Eu vou revelar um, e vou pedir escusas para não revelar outros: no nível macroeconômico, quem tem me ajudado é um economista de renome, um dos melhores nomes do País, alguém que eu conheço há muito tempo, que é o Affonso Celso Pastore.”

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!