CartaExpressa

Governo prepara linha de crédito de R$ 15 bilhões a grandes empresas do RS, diz Alckmin

Segundo o vice-presidente, a medida deve ser anunciada até a terça-feira

Vice-presidente Geraldo Alckmin. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O vice-presidente Geraldo Alckmin afirmou, nesta segunda-feira 27, que o governo prepara uma linha de crédito de 15 bilhões de reais para grandes empresas afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Alckmin disse ainda que a medida deve ser anunciada até a terça-feira 28, e que o tema está sendo definido pelo presidente Lula (PT) e pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

“O presidente vai definir com o ministro da Fazenda, está praticamente elaborada a medida provisória e deve definir a questão desse crédito para as grandes empresas. Será anunciado entre hoje e amanhã”, disse, durante coletiva de imprensa. Alckmin está no Rio Grande do Sul para cumprir agendas com setor produtivo gaúcho.

Ainda durante a agenda, o vice-presidente fez um breve balanço sobre as ações para o setor frente às fortes chuvas na região.

“Foram liberados recursos do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), juros zero na rede de bancos públicos, e também nas cooperativas. O Rio Grande do Sul tem um sistema de cooperativas de crédito muito forte de grande capilaridade, nasceram aqui as cooperativas de crédito, Pronaf, depois o Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural), atendendo as médias empresas agrícolas com juro zero; Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), com juros real zero. Na próxima medida provisória, o presidente Lula vai incluir cooperativas de crédito, para elas poderem também participar”, explicou Alckmin.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.