CartaExpressa

Governo descarta acabar com isenção de importados de até US$ 50 para compensar desoneração, diz Haddad

Haddad negou o retorno da cobrança para bancar a compensação da desoneração

Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, descartou nesta terça-feira 21 que o governo planeja o fim da isenção de importados até US$ 50 para bancar a compensação da desoneração da folha de pagamentos.

Questionado por jornalistas, Haddad negou o retorno da cobrança “até porque o valor [da arrecadação] é muito menor [para compensar]”, comentou.

O Congresso Nacional e o o governo Lula (PT) entraram em um acordo sobre a desoneração da folha de pagamento, tanto para empresas quanto para os municípios, na última semana.

A expectativa é que a votação do texto no Congresso seja realizado na próxima semana. A intenção é manter a desoneração em 2024 e discutir a reoneração gradual a partir de 2025.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar