CartaExpressa

Fachada do MASP exibirá bandeira LGBT+ de 70 metros durante a Parada do Orgulho em SP

A ação foi autorizada pelos órgãos do patrimônio municipal, estadual e federal, uma vez que o museu é protegido como patrimônio histórico pelas três esferas de Poder

MASP
O Museu de Arte de São Paulo masp paulista museu de arte de são paulo assis chateaubriand Adriano Pedrosa
Apoie Siga-nos no

A fachada do Museu de Arte de São Paulo, o MASP, será coberta pelas cores da bandeira LGBT+ no próximo domingo 2, durante a 28ª Parada do Orgulho. A ação é organizada pelo Castro Festival em parceria com a marca de cerveja Amstel.

O bandeirão que cobrirá a fachada do museu terá 70 metros de largura por 14 metros de altura. A ação foi autorizada pelos órgãos do patrimônio municipal, estadual e federal, uma vez que o museu é protegido como patrimônio histórico pelas três esferas de Poder.

Simulação gerada em 3D pelos organizadores da ação

O Castro Festival, que promove eventos de música voltados para o público LGBT+, também anunciou que, além da edição anual do festival, realizará uma agenda cultural no MASP entre agosto e dezembro, com mostras de filmes, artes cênicas, oficinas e painéis.

No domingo, a 28ª Parada do Orgulho LGBT+ acontecerá a partir das 10h da manhã com concentração na Avenida Paulista. No ano marcado pelas eleições municipais, a ParadaSP sairá às ruas com o tema “Basta de negligência e retrocesso no legislativo. Vote consciente por direitos da população LGBT+”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.