CartaExpressa,Política

Escândalo da Covaxin põe Ricardo Barros na mira do Conselho de Ética

Escândalo da Covaxin põe Ricardo Barros na mira do Conselho de Ética

Parlamentares ouvidos por 'CartaCapital' admitiram levar o caso ao conselho por quebra de decoro

Deputado Ricardo Barros durante sessão de votação para presidente da Câmara dos Deputados.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Deputado Ricardo Barros durante sessão de votação para presidente da Câmara dos Deputados. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Supostamente citado pelo presidente Jair Bolsonaro a Luís Miranda (DEM) como o responsável pelo esquema de compra da vacina indiana Covaxin com preço superfaturado, o líder do governo Ricardo Barros (PP) está na mira do Conselho de Ética da Câmara.

Parlamentares ouvidos por CartaCapital admitiram levar o caso ao conselho por quebra de decoro e já conversam nos bastidores sobre a forma como se dará a representação. Provavelmente, por via parlamentar, uma vez que Barros é filiado ao PP, partido aliado do governo federal.

O caso Covaxin — que lança o governo no centro de um escândalo de corrupção, podendo Bolsonaro ter incorrido em prevaricação — também levou Luís Miranda  a ser representado no Conselho de Ética a pedido do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. Jefferson pede que ele perca o mandato do parlamentar. Em resposta ao site Metrópoles, Miranda dobrou a aposta nas denúncias: “Já que o ‘Bob’ quer explodir a República, então que ele o faça, porque até agora eu só falei a verdade e tentei minimizar os danos. Se eles querem aumentar o tom, vamos aumentar o tom, eu não tenho dificuldade nenhuma em aumentar o tom.”

“Tanto Miranda quanto Ricardo Barros terão o mesmo tratamento por parte do conselho”, disse a CartaCapital o deputado federal Mario Heringer (PDT) que faz parte do Conselho de Ética.

Nos bastidores, contudo, alguns parlamentares não veem chances de Miranda ser cassado. “Ele sairia como herói”, afirmou reservadamente um deputado. “Mas, claro, vai depender muito de quem será o relator.”

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter da revista CartaCapital

Compartilhar postagem