CartaExpressa,Política

Ernesto Araújo diz que ‘é terrivelmente injusto’ o Brasil ser visto como ameaça global

Ernesto Araújo diz que ‘é terrivelmente injusto’ o Brasil ser visto como ameaça global

Chanceler criticou temor internacional diante do crescimento dos índices de óbitos e de casos de Covid-19 entre brasileiros

O ex-chanceler Ernesto Araújo. Foto: Ministério das Relações Exteriores

O ex-chanceler Ernesto Araújo. Foto: Ministério das Relações Exteriores

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, classificou como “injusto” o temor da comunidade internacional diante da crise do coronavírus no Brasil, mesmo após o surgimento de uma nova variante da doença e as sucessivas quebras de recorde de mortes e de contaminações.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo publicada nesta terça-feira 23, argumentou que outros países lidam com novas cepas e que há discriminação contra o Brasil.

 

Isso é, antes de tudo, terrivelmente injusto, porque surgiram cepas em outros lugares, no Reino Unido e na África do Sul. E ninguém diz que são ameaças globais.

 

“Existe aí uma visão um pouco discriminatória em relação ao Brasil”, prosseguiu o ministro. “Estamos sendo golpeados por essa doença, obviamente. A gente pode fazer o que está sendo feito. Acelerar o processo de vacinação, estamos conseguindo vacinas de várias frentes possíveis. É importante que haja esse escrutínio mundial, mas baseado nos fatos, e não nessa percepção de algo fora do controle, que o Brasil está sendo uma fonte de problemas”

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem