CartaExpressa

Empresas contratadas por Bia Kicis divulgam desinformação sobre voto impresso

Segundo o Globo, deputada usou verba parlamentar com empresas que produzem conteúdo que questiona as urnas eletrônicas

A deputada federal bolsonarista Bia Kicis (PSL-DF). Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
A deputada federal bolsonarista Bia Kicis (PSL-DF). Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) teria contratado duas empresas para ajudar na divulgação de informações, algumas delas falsas, sobre uma possível volta do voto impresso nas eleições. A apuração é do jornal O Globo.

De acordo com o jornal, a parlamentar contratou, em janeiro, a empresa Inovatum Tecnologia da Informação, ao custo de 2 mil mensais, para gerenciar o grupo de telegram “VotoImpressoAuditável”.

Em dezembro, a deputada contratou por 4,5 mil reais mensais a Gohawk Tecnologia da Informação, responsável por criar uma página que permite o cadastro de apoiadores da iniciativa.

Ao todo, Kicis gastou 12, 5 mil reais da verba parlamentar para impulsionar a campanha.

Os conteúdos dos canais colocam em xeque a credibilidade do processo eletrônico, sem quaisquer evidências para tal.

Ao jornal, a deputada declarou que o contrato com a Inovatum foi assinado para um período de três meses, mas pode ser renovado automaticamente pelo prazo que a parlamentar julgar conveniente. Sobre as desinformações divulgadas no grupo, afirmou que a intenção é a de demonstrar que toda tecnologia é passível de falhas.

O projeto do voto impresso é uma das bandeiras do presidente Jair Bolsonaro e encontra eco entre seus apoiadores que, embora aventem vulnerabilidade do atual sistema, também não apresentam qualquer comprovação.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!