CartaExpressa

Em documento, empresa que contratou Moro diz que triplex não era de Lula

Documentação, divulgada por Reinaldo Azevedo nesta quarta-feira 2, afirma que imóvel pertencia à OAS Empreendimentos

SÉRGIO MORO. PHOTO: SÉRGIO LIMA/AFP
SÉRGIO MORO. PHOTO: SÉRGIO LIMA/AFP

A empresa Alvarez & Marsal, da qual o ex-ministro Sergio Moro é sócio-diretor, reconhecia em documentos internos que o tríplex do Guarujá, no edifício Solaris, pertencia à OAS Empreendimentos e não ao ex-presidente Lula. Os documentos de 2016 e 2017 foram publicados pelo jornalista Reinaldo Azevedo em sua coluna no UOL.

Foto: Reprodução UOL Foto: Reprodução UOL

Além da documentação da própria empresa, o jornalista reitera que, no dia no dia 19 de abril de 2017, a defesa de Lula exibiu dois documentos que também demonstravam que o tríplex de Guarujá não pertencia ao ex-presidente. A evidência, no entanto, foi descartada pelo então juiz Sergio Moro, que julgou a causa como se o imóvel pertencesse ao líder petista.

O jornalista questiona em sua coluna: “Será que, hoje, Moro acredita na palavra da empresa de que ele é sócio diretor? Ou ainda: será que, agora como empresário com ganhos milionários, ele espera que juízes façam como ele fez e ignorem o que certifica a A&M?”.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!