CartaExpressa

Dilma cumprimenta Alckmin, minimiza disputa PT/PSDB e destaca parceria no Bolsa Família

Em evento no RS, a ex-presidenta citou o desafio de reindustrializar o País e a necessidade de reforçar o investimento em educação

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

A ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) cumprimentou o candidato a vice-presidente na chapa de Lula (PT), Geraldo Alckmin (PSB), durante debate com profissionais e especialistas sobre educação pública, em Porto Alegre (RS).

Em 2016, o então governador de São Paulo endossou o impeachment da petista.

Nesta quarta-feira 1º, Dilma afirmou que teve “a honra de compartilhar [com Alckmin] o exercício de uma função que no Brasil foi esquecida completamente, porque agora Bolsonaro culpa governadores, mas naquela época fazíamos parceria”.

Durante seus mandatos na Presidência, prosseguiu Dilma, manteve com Alckmin “a capacidade de, independentemente dos partidos que representávamos, colocar toda a função pública, que é servir ao povo do País”.

Mencionou como exemplo a atuação conjunta em “vários programas sociais, notadamente no Bolsa Família e no Minha Casa, Minha Vida, nos quais tivemos uma parceria fundamental”.

No evento desta quarta, Dilma também defendeu a retomada do investimento maciço em educação, o que garantiria às crianças e aos jovens “ganhos reais, absolutamente não reversíveis por nenhum neofascista que assuma o governo”.

A educação, acrescentou a ex-presidenta, também é o caminho para enfrentar a desigualdade no País, que tem “pelo menos três faces: uma social, outra étnica e outra de gênero”.

“O único caminho de chegar à riqueza é com educação de qualidade, é gastando muito dinheiro com a educação, porque a educação é a base da ciência, da tecnologia e da inovação. Sem ciência, tecnologia e inovação, jamais conseguiremos, nesta etapa do desenvolvimento do capitalismo, acessar a nova revolução tecnológica.”

Dilma ainda afirmou que um grande desafio do Brasil é se “reindustrializar para criar empregos de qualidade”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar