CartaExpressa

Desembargador suspende ação contra Lula derivada da Lava Jato

Decisão de Paulo Fontes, do TRF-3, leva em consideração as recentes decisões do STF contra Sergio Moro

O ex-presidente Lula. Foto:  Fabrice COFFRINI/AFP
O ex-presidente Lula. Foto: Fabrice COFFRINI/AFP

O desembargador federal Paulo Fontes, membro da 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, suspendeu uma ação penal contra o ex-presidente Lula que corria na 2ª Vara Federal Criminal da Subseção Judiciária de São Paulo. O caso deriva de uma das fases da Operação Lava Jato.

A decisão, proferida em caráter liminar, foi tomada nesta sexta-feira 2 e se refere a uma suposta prática de tráfico de influência internacional envolvendo o presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang.

A argumentação da defesa de Lula se baseou nas recentes decisões tomadas pelo Supremo Tribunal Federal que reconheceram a parcialidade e a incompetência do ex-juiz Sergio Moro contra o petista.

“Com efeito, o artigo 564, I, do CPP, assevera que a incompetência, a suspeição e o suborno do juiz são causas de nulidade. Adiante, o artigo 567 do mesmo Código estabelece que, no caso de incompetência, apenas os atos decisórios devem ser anulados — com o que, ausente menção nesse último artigo à suspeição e ao suborno, sem dúvida mais graves, deve-se entender que tais causas de nulidade atingem também os atos ditos instrutórios”, diz trecho da decisão de Paulo Fontes.

“Dessa forma, face à relevância da arguição, amparada em decisões do Supremo Tribunal Federal, DEFIRO a liminar para suspender o curso da ação penal em tela, vedada a prática de qualquer ato, até decisão final da 5aTurma na presente ação constitucional”, escreveu ainda o desembargador.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!