CartaExpressa

Deputado bolsonarista usa foto do exército chinês para elogiar ‘desfile’ brasileiro

Imagem usada pelo deputado federal Ottoni de Paula é de desfile militar dos 70 anos da República Popular da China

Jair Bolsonaro e Otoni de Paula. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Jair Bolsonaro e Otoni de Paula. Foto: Reprodução/Redes Sociais

O deputado bolsonarista Otoni de Paula (PSC-RJ) usou a imagem de tanques do exército chinês para ilustrar o desfile de blindados da Marinha que ocorreu na manhã desta terça-feira 10 em Brasília.

Nas redes sociais, o parlamentar postou a foto dos veículos com a legenda: “Nunca uma simples manobra militar mexeu tanto com meu patriotismo”.

Nos comentários, internautas já debocharam do deputado e o ‘alertaram’ do ‘engano’, mas até o momento desta publicação, o post ainda não foi apagado.

Ao fazer uma busca pela imagem original no Google, o primeiro resultado é um vídeo dos 70 anos da República Popular da China. Compare:

Desfile de blindados

O ‘desfile militar’ da Marinha ocorreu em Brasília nesta terça-feira 10 para levar um convite a Jair Bolsonaro para que participe de um exercício militar em Goiás. O evento é parte da Operação Formosa, que ocorre anualmente desde 1988, mas esta é a primeira vez que o convite é levado com um comboio de blindados.

Os tanques usados no desfile passaram a poucos metros do Congresso onde a análise da PEC do voto impresso deve ocorrer nesta terça. A manobra foi lida como uma ameaça e intimidação por parte dos deputados.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!