CartaExpressa

Deputado bolsonarista que acusou fraude na urna reconhece que não tem provas

Deputado bolsonarista que acusou fraude na urna reconhece que não tem provas

Em resposta ao TSE, Castello Branco de Luca disse que declarações foram apenas reprodução do que tinha ouvido de eleitores

Foto: Reprodução Facebook

Foto: Reprodução Facebook

O deputado estadual Castello Branco de Luca (PSL-SP), em resposta ao Tribunal Superior Eleitoral, afirmou que suas acusações de que houve fraude nas eleições de 2018 foram apenas reprodução do que tinha ouvido de eleitores. Ele não apresentou prova de que houve algum tipo de irregularidade no pleito. A informação é da jornalista Carolina Brígido, do UOL.

De acordo com a publicação, o parlamentar disse que houve “centenas de reclamações sobre possíveis indícios e suspeitas de irregularidades do funcionamento das urnas eletrônicas feitas por eleitores de São Paulo”. Luca diz que que em uma zona eleitoral não havia registro de sequer um voto em determinado candidato a vereador.

“Apesar dessas reclamações feitas por eleitores, não houvera a impugnação exigida em conformidade do que disciplina o ordenamento legal e, muito menos chegou a mim provas de materialidade de eventuais irregularidades”, admitiu o deputado.

A resposta foi a um pedido do corregedor Luís Felipe Salomão para que o deputado apresentasse provas de suas acusações. Salomão enviou a mesma notificação ao presidente Jair Bolsonaro e a Cabo Daciolo, candidato a presidente derrotado em 2018. Até o momento, só Luca respondeu.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem