CartaExpressa,Justiça

Deltan Dallagnol articulou para a PF não cumprir decisão de soltar Lula

Deltan Dallagnol articulou para a PF não cumprir decisão de soltar Lula

Em mensagens, procurador ainda disse que Cármen Lúcia, do STF, havia conversado com o ministro da Justiça para não beneficiar o petista

Deltan Dallagnol e Lula. Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil e AFP

Deltan Dallagnol e Lula. Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil e AFP

Novas mensagens obtidas pela Operação Spoofing revelam que, em conversas de procuradores da Força-tarefa da Lava Jato pelo Telegram, Deltan Dallagnol articulou para que a decisão de 2018 do desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), que determinou a soltura do ex-presidente Lula, não fosse cumprida. A informação é do site Jota.

De acordo com o site, Dallagnol disse aos colegas: “Vou ligar pra PF pra pedir pra não cumprir”.

 

 

O coordenador da Lava Jato afirmou que Sergio Moro não poderia mais fazer nada para reverter a ordem do desembargador e acrescentou: “Precisamos de uma decisão, qq que seja”.

Nas mensagens, Dallagnol admite que conversou com Maurício Valeixo, então diretor da Polícia Federal. “Falei com Valeixo agora, seguem segurando. Estão em contato com TRF tbm”.

O procurador ainda disse que a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, havia conversado com o então ministro da Justiça, Raul Jungmann, para que Lula não fosse solto.

“Cármen Lúcia ligou pra Jungman e mandou não cumprir e teria falado tb com Thompson”.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem