CartaExpressa

CPI vai usar mensagens de WhatsApp enviadas por Bolsonaro no relatório final

Presidente compartilhou  compartilhou fake news sobre vacinas, piadas homofobias e elogios ao ditador chileno Augusto Pinochet

O presidente Jair Bolsonaro. Foto: Evaristo Sá/AFP
O presidente Jair Bolsonaro. Foto: Evaristo Sá/AFP

O relatório final da CPI da Covid terá mensagens de WhatsApp enviadas pelo presidente Jair Bolsonaro a contatos de sua lista de transmissão. A informação foi confirmada pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL) à Globonews.

O conteúdo das mensagens foi revelado pelo jornal O Globo. Nelas, o ex-capitão compartilhou fake news, piadas homofobias e elogios ao ditador chileno Augusto Pinochet.

Calheiros deve usá-las como prova para sustentar a recomendação de indiciamento de Bolsonaro por incitação a descumprimento de medida sanitária.

“As mensagens enviadas por Bolsonaro à sua lista de contatos disseminando fake news sobre a vacina da Pfizer constará no relatório, como também constarão outras postagens e declarações do presidente para desincentivar a vacinação. Bolsonaro será responsabilizado por disseminar fake news e desincentivar a vacinação”, afirmou o relator ao jornal.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!