CartaExpressa

Comandante da Marinha defende PEC de senador do PL para aumentar orçamento de Defesa

A proposta de Carlos Portinho (PL-RJ) garante a destinação de pelo menos 2% do PIB para o orçamento de Defesa

O comandante da Marinha, almirante Marcos Sampaio Olsen. Foto: Foto: Lula Marques/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O comandante da Marinha, almirante Marcos Sampaio Olsen, defendeu neste domingo 3 a proposta de emenda à Constituição encabeçada por um senador do PL para garantir a destinação de pelo menos 2% do PIB para o orçamento de Defesa.

A PEC, de autoria de Carlos Portinho (PL-RJ), está na Comissão de Constituição e Justiça e aguarda a escolha de um relator. A tendência é que a tarefa recaia sobre o líder do governo, Jaques Wagner (PT-BA).

“Investimentos em defesa são de longo prazo, e isso impõe uma necessidade de previsibilidade orçamentária. É nesse sentido que a PEC é absolutamente necessária para que as Forças possam se planejar e executar isso”, disse Olsen em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

Segundo a proposta, o governo federal deve partir de 1,2% do PIB para esse investimento e, a cada ano, aumentar em pelo menos 0,1% o repasse à Defesa Nacional, até atingir o índice mínimo de 2%.

“Ao mesmo tempo que levam ao aumento direto das capacidades das Forças Armadas, contribuindo para a defesa da Pátria, também promovem o fortalecimento da Base Industrial de Defesa, conjunto de empresas nacionais, estatais ou privadas, que participam do desenvolvimento, da produção, da distribuição e da manutenção de produtos estratégicos de defesa”, argumenta Carlos Portinho.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.