CartaExpressa

Ciro me ofereceu a possibilidade de ser candidato a vice dele, diz Datena

Lançado candidato à Presidência pelo PSL (agora União Brasil), o apresentador diz que não continuará no partido caso perca prévias

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Em entrevista à Veja, publicada nesta sexta-feira, o apresentador José Luiz Datena detalhou seus anseios eleitorais. Lançado candidato a presidente pelo PSL, que se uniu ao DEM e agora forma o União Brasil, ele disse aceitar disputar prévias com outros postulantes à vaga, como o senador Rodrigo Pacheco e o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta. Caso perca, contudo, Datena sairia do partido.

“Se eu perder, não quero ficar e ser candidato nem a governador nem ao Senado, porque tenho convites de outros partidos”, afirmou. As conversas envolveriam, segundo ele, a possibilidade de migrar para o PSD ou para o PDTA. “Gilberto Kassab já me convidou para ser candidato e tive uma conversa com Ciro Gomes (PDT), que me ofereceu a possibilidade de ser candidato a vice dele ou a governador. Então, dessa fusão, eu só saio candidato a presidente.”

Na última terça-feira 12, Datena, que comanda o policialesco Brasil Urgente na Bandeirantes, anunciou ao vivo que deixará a TV para concorrer à Presidência. A edição mais recente do Datafolha, de setembro, dá ao apresentador 4% das intenções de voto e apenas 19% de rejeição.

Na mesma entrevista, ele diz estar convicto de que poderia ocupar a vaga de Bolsonaro no segundo turno das eleições. “Ele é quem está perdendo voto, é o que dizem as pesquisas. Mais fácil tirar ele do que Lula.”

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!