CartaExpressa

Cariani usou nomes de crianças em esquema fraudulento de hormônios, aponta a PF

A Polícia Federal de São Paulo indiciou o influenciador pelos crimes de tráfico equiparado, associação para tráfico de drogas e lavagem de dinheiro

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

Investigações da Polícia Federal encontraram uma troca de mensagens entre o influenciador fitness Renato Cariani e uma parceira de negócios que indicam um esquema fraudulento para comprar remédios com descontos, entre eles o Norditropin, cujo princípio ativo é GH, o hormônio de crescimento.

Segundo os investigadores, Cariani usava nomes de crianças para conseguir os medicamentos. O GH é indicado para favorecer o crescimento ósseo e muscular em crianças com desenvolvimento comprometido. Já no universo dos fisiculturistas, a substância costuma ser utilizada de forma irregular para aumentar a massa muscular e reduzir a gordura corporal.

“Amiga, consegue dois nomes de crianças com os dados dos pais para mim, por favor. Preciso comprar mais daquele medicamento”, escreveu o influenciador em uma das mensagens direcionadas à mulher, identificada como Elen.

As trocas de mensagens aconteceram em julho de 2017 e foram anexadas ao inquérito aberto contra Cariani e já finalizado. A Polícia Federal de São Paulo o indiciou pelos crimes de tráfico equiparado, associação para tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Dois amigos do influenciador também foram indiciados.

A conclusão da PF foi encaminhada para o Ministério Público Federal (MPF), que poderá ou não denunciar o grupo pelos crimes. Até aqui, não houve pedidos de prisão e todos respondem em liberdade.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.