CartaExpressa

‘Bolsonaros têm compromisso com tortura’, diz Dilma sobre ataques a Miriam Leitão

“Agora, o filho segue a tradição”, escreveu

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) celebrou os 10 anos da Comissão Nacional da Verdade. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

A ex-presidente Dilma Rousseff repudiou o ataque feito pelo deputado federal e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PL) à jornalista Miriam Leitão. 

Nas redes sociais, o parlamentar republicou uma coluna da jornalista na qual ela afirmava que  Jair Bolsonaro (PL) é um inimigo da democracia. Na legenda, escreveu: “ainda com pena da cobra”, fazendo uma referência a uma das sessões de tortura sofridas pela jornalista durante a ditadura.

A ex-presidente, que também foi vítima de tortura durante o período militar, relembrou que Bolsonaro homenageou seu torturador, o coronel Brilhante Ustra, durante a sessão de votação da abertura de seu processo de impeachment. 

Além da ex-presidente, diversos outros políticos prestaram apoio à jornalista. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar