CartaExpressa

Bolsonaro tenta justificar carta escrita por Temer: ‘A gente tá ganhando’

Presidente rebateu as críticas e disse que aqueles que reclamam do teor do texto é porque não leram ou não entenderam o que foi escrito

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Foto: Reprodução/Redes Sociais

A apoiadores no cercadinho do Alvorada nesta sexta-feira 10, o presidente Jair Bolsonaro minimizou o seu recuo, rebateu as críticas e tentou justificar a carta escrita por Michel Temer e assinada por ele na tarde desta quinta 9.

De acordo com Bolsonaro, o texto foi uma tentativa de conter a alta no dólar e a queda na Bolsa de Valores, observadas após os ataques antidemocráticos. Para ele, o conteúdo publicado ‘foi um acerto’.

“Entendam, a gente vai acertando”, afirmou aos apoiadores. “A gente tá ganhando. Se o dólar dispara influencia no combustível, no gás de cozinha”, justificou.

O presidente ainda rebateu as críticas feitas por apoiadores que apontam decepção ao recuo nos ataques ao Supremo Tribunal Federal.

“Cada um fala o que quiser, mas o cara não lê a nota e reclama. Leia a nota. É bem curtinha, leia duas, três vezes. São dez pequenos itens, entenda”, afirmou Bolsonaro, em tom de cobrança aos aliados.

Na conversa, elogiou a participação dos apoiadores nos atos antidemocráticos do dia 7 de setembro e se esquivou da cobrança dos bolsonaristas por tomar ‘novas atitudes’ após os discursos.

“O retrato está no mundo todo e aqui em Brasília. Todo mundo viu o que está acontecendo. Alguns querem imediatismo, mas se você namorar e casar em uma semana, vai dar errado seu casamento”, finalizou.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!