CartaExpressa

Bolsonaro foi o grande derrotado na votação da reforma tributária, diz Padilha

O ex-capitão entrou em campo nos últimos dias para tentar barrar a aprovação da proposta

O ex-presidente Jair Bolsonaro. Foto: Douglas Magno/AFP
Apoie Siga-nos no

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), afirmou nesta quinta-feira 9 que o principal derrotado com a aprovação da reforma tributária pelo Senado é o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O ex-capitão entrou em campo nos últimos dias para tentar barrar o avanço da proposta, mas sofreu mais uma derrota. Na terça-feira 7, ele participou de um jantar com senadores do PL e ligou para diversas lideranças. Também usou as redes sociais para fazer uma longa publicação com críticas à PEC. Para completar, foi ao Congresso Nacional na quarta-feira.

“A reforma tributária é uma vitória do Brasil, não era um tema do governo e nem da oposição”, disse Padilha. “Apesar de ter ficado muito claro, no dia de ontem, que o principal derrotado foi o ex-presidente da República, que tentou na véspera da votação, mais uma vez, impedir e fazer campanha contra.”

O ministro também minimizou o fato de o Senado ter ampliado o número de exceções à regra geral da reforma, a fim de viabilizar a aprovação.

“É como a construção de uma estrada. Os temas incorporados na votação foram os necessários para garantir a maioria constitucional”, argumentou. “Exceções fazem parte dessa construção.”

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.