CartaExpressa

Autor de ataque em escola do Paraná é encontrado morto na prisão

Homem de 21 anos, que deixou duas pessoas mortas no ataque, foi encontrado sem vida na madrugada desta quarta-feira 21

Policiais em ação após um ataque ao colégio Professora Helena Kolody, em Cambé, no Paraná. Foto: Henrique Campinha/AFP
Apoie Siga-nos no

O autor do ataque que matou duas pessoas no Colégio Estadual Professora Helena Kolody, em Cambé, no Paraná, foi encontrado morto na prisão, na madrugada desta quarta-feira 21. 

A Secretaria de Segurança Pública do Paraná confirmou, em nota, a informação e disse que os investigadores já instauraram procedimento para apurar as circunstâncias do caso. A causa da morte ainda não foi confirmada.

O homem, que tinha 21 anos, estava preso desde a última segunda-feira 19. Na terça, ele foi encaminhado para a Casa de Custódia de Londrina. 

De acordo com o delegado-chefe da Polícia Civil de Londrina, Fernando Amarantino Ribeiro, o atirador, que era ex-aluno da escola, planejou o ataque por anos. Ele matou o estudante Luan Augusto, 16 anos, e a estudante Karoline Verri Alves, 17 anos. Em depoimento à polícia, o atirador disse que não conhecia as vítimas, que eram namorados.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar