CartaExpressa

Arábia Saudita deu joias a Bolsonaro em reunião sobre ativos da Petrobras, diz site

Encontro também teve uma sinalização para Brasil integrar uma ampliação da Opep

As joias que o clã Bolsonaro recebeu do regime saudita. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

As joias avaliadas em 16,5 milhões de reais foram entregues pela Arábia Saudita a representantes de Jair Bolsonaro (PL) em um encontro que teve como tema central a venda de ativos da Petrobras e um possível convite para que o Brasil integrasse a ampliação da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). A informação é do site G1 desta sexta-feira 14.

De acordo com o site, a informação sobre o tema do encontro consta em uma telegrama enviado pela embaixada brasileira em Riade, capital da Arábia Saudita, para o Itamaraty. A obtenção do texto foi possível via Lei de Acesso à Informação. Nele, é possível ler um resumo do encontro. A mensagem é assinada por Marcelo Della Nina, embaixador brasileiro.

Della Nina escreve, por exemplo, que Bento Albuquerque, em mais de uma ocasião, destacou a parceria entre Brasil e Arábia Saudita no setor de energia. Ele lista também entre as discussões realizadas a venda dos ativos da Petrobras e reforça o possível convite para o Brasil integrar à Opep.

A mensagem foi escrita pelo embaixador poucas semanas após a reunião brasileira liderada por Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia naquela ocasião. Foi neste encontro – realizado no dia 22 de outubro de 2022, que ele e seus funcionários receberam as joias. No texto assinado pelo embaixador, não há qualquer menção aos itens luxuosos.

Sabe-se que as joias foram entregues ali porque o registro dos presentes consta em um documento enviado pelo Ministério das Minas e Energia à Receita Federal no dia 3 de novembro. Esta foi uma das primeiras tentativas do governo Bolsonaro para liberação das joias apreendidas. No ofício, a pasta destacou que “foram oferecidos, por autoridades estrangeiras, alguns presentes à Representação brasileira”.

Nesta quinta-feira, a participação direta de Bolsonaro nas tentativas de liberação dos itens luxuosos ganhou novos contornos. Um depoimento de um ex-funcionário da Presidência à Polícia Federal mostrou que o ex-capitão participou de uma ligação em que se discutiu o ofício que pedia a retirada dos itens da Receita Federal.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.