CartaExpressa,Política

Após reunião, PSDB se diz oposição a Bolsonaro, mas não crava apoio ao impeachment

Após reunião, PSDB se diz oposição a Bolsonaro, mas não crava apoio ao impeachment

O presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Isac Nóbrega/PR

O PSDB anunciou nesta quarta-feira 8, após uma reunião de sua Executiva Nacional, que passou a fazer parte da oposição ao governo de Jair Bolsonaro. A sigla, no entanto, não afirmou que apoia o impeachment do presidente.

Segundo nota divulgada nesta tarde, os tucanos iniciaram “hoje o processo interno de discussão sobre a prática de crimes de responsabilidade cometidos pelo Presidente da República e o caminho mais eficiente para evitar o agravamento dessa crise na vida das pessoas”.

A decisão foi tomada um dia depois de Bolsonaro reforçar suas ameaças golpistas e estimular a desobediência civil a decisões do Supremo Tribunal Federal. O presidente também ofendeu diretamente o ministro Alexandre de Moraes, a quem chamou de “canalha”, e disse que o presidente da Corte, Luiz Fux deveria “enquadrá-lo”, sob pena de o Judiciário “sofrer aquilo que nós não queremos”.

“O PSDB repudia as atitudes antidemocráticas e irresponsáveis adotadas pelo presidente da República em manifestações pelo Dia da Independência. Ao mesmo tempo, conclama as forças de centro para que se unam numa postura de oposição a este projeto autoritário de poder e para evitar a volta do modelo político econômico petista também responsável pela profunda crise que enfrentamos”, diz trecho da nota.

O partido afirmou ainda que se alinha “à indignação de todos aqueles que têm na democracia, na defesa das instituições e no respeito à liberdade o seu maior compromisso”.

“Os brasileiros esperam de seu governante soluções para a pandemia, para o desemprego, para a inflação crescente, para a crise hídrica, para desigualdade e para o descalabro fiscal”.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem