CartaExpressa

Após Lava Jato, Lula anuncia a retomada de investimentos na indústria naval

O impacto sobre a área é uma das críticas à atuação da operação protagonizada por Sergio Moro e Deltan Dallagnol

O presidente Lula. Foto: Sergio Lima/AFP
Apoie Siga-nos no

O presidente Lula (PT) afirmou nesta segunda-feira 6 que seu governo retomará os investimentos na indústria naval e de óleo e gás no Rio de Janeiro. A declaração foi concedida lado do prefeito da capital, Eduardo Paes (PSD), e do governador Cláudio Castro (PL), durante a inauguração do Super Centro de Saúde Carioca.

O impacto sobre a indústria naval é uma das críticas à atuação da Lava Jato, Sergio Moro e Deltan Dallagnol à frente. Como mostrou CartaCapital em 2019, o número de trabalhadores empregados nessa indústria caiu de 71,6 mil em 2014 para 33,1 mil em 2017, segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos.

“Vamos voltar a construir navios nos estaleiros do Rio de Janeiro e retomar os investimentos na indústria de óleo e gás”, disse Lula nesta segunda.

Antes de voltar à Presidência, o petista comentou o tema em diversas ocasiões. “O objetivo da Lava Jato a gente já sabe qual era. Era destruir a indústria naval neste País. Destruir a indústria de óleo e gás. Olha o preço da gasolina agora… Não tem explicação essa política de preços nivelada pelo mercado internacional”, escreveu Lula em novembro de 2021.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.