CartaExpressa

Após a morte de Genivaldo, MPF de Sergipe recomenda o uso de câmeras pela PRF

O órgão estipulou o prazo de 15 dias para a corporação informar se acatará a indicação

Homem negro foi morto sob tortura pela PRF no ano passado. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O Ministério Público Federal de Sergipe recomendou o uso de câmeras por policiais rodoviários federais durante abordagens. A indicação foi feita à direção-geral da Polícia Rodoviária Federal, nesta sexta-feira 29, ainda no contexto da morte de Genivaldo Santos, em Umbaúba, litoral do estado. Ele foi colocado em uma espécie de câmara de gás, montada no porta-malas de uma viatura da corporação.

A peça pede a instalação dos equipamentos em até 120 dias após a conclusão das investigações e estipula o prazo de 15 dias para a corporação informar se acatará a recomendação. A negativa ou a falta de resposta pode levar a medidas administrativas e ações judiciais, segundo manifestação do MPF.

O MPF apontou ainda esperar que os trabalhos sejam concluídos em 60 dias.

A instalação das câmeras é recomendada para profissionais que atuam em policiamento ostensivo, patrulhamento rodoviário e cumprimento de medidas judiciais, dentre outras atividades.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.