CartaExpressa,Política

Ao confirmar a parcialidade de Moro, STF restabelece o devido processo legal, diz a defesa de Lula

Ao confirmar a parcialidade de Moro, STF restabelece o devido processo legal, diz a defesa de Lula

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro. Foto: Lula Marques

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro. Foto: Lula Marques

A defesa do ex-presidente Lula celebrou nesta quinta-feira 22 a maioria formada pelo Supremo Tribunal Federal para referendar a decisão, tomada pela Segunda Turma da Corte no mês passado, que reconheceu a parcialidade do ex-juiz Sergio Moro contra o ex-presidente Lula no caso do triplex do Guarujá.

Segundo os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, o STF reforçou que Moro “quebrou a regra de ouro da jurisdição: agiu de forma parcial em relação ao ex-presidente Lula”.

“Como dissemos desde a primeira manifestação escrita, em 2016, Sergio Moro usou o cargo de juiz para praticar lawfare e promover uma verdadeira cruzada contra o ex-presidente Lula — para acusá-lo e condená-lo sem prova de culpa com o objetivo de retirá-lo das eleições presidenciais de 2018 e da vida política”, disseram os advogados em nota.

A defesa destacou que Lula “lutou pelo cumprimento do devido processo legal durante mais de cinco anos, período em que sofreu 580 dias de prisão ilegal e toda espécie de perseguições e constrangimentos irreparáveis”.

A nota afirma, ainda, que a maioria formada pelo STF representa “uma vitória do Direito sobre o arbítrio” e marca “o restabelecimento do devido processo legal e da credibilidade do Judiciário no Brasil”.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem