CartaExpressa,Saúde

Anvisa aprova vacinas da Pfizer/Biontech contra a Covid-19

Anvisa aprova vacinas da Pfizer/Biontech contra a Covid-19

No entanto, o governo brasileiro não concluiu as negociações de compra com o laboratório

Foto: Justin Tallis/AFP

Foto: Justin Tallis/AFP

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira 23 o uso das vacinas contra a Covid-19 produzidas pelo laboratório Pfizer/Biontech.

Em comunicado, o Diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, afirmou que o período de análise do imunizante durou 17 dias e comprovou eficácia.

“O imunizante do Laboratório Pfizer/Biontech teve sua segurança, qualidade e eficácia, aferidas e atestadas pela equipe técnica de servidores da Anvisa que prossegue no seu trabalho de proteger a saúde do cidadão brasileiro”, afirmou.

 

Negociações seguem paradas 

 

Apesar da autorização, o governo brasileiro não concluiu as negociações de compra com o laboratório.

No domingo 21, o Ministério da Saúde divulgou uma nota em que pede ajuda à Casa Civil para comprar as vacinas da Janssen e da Pfizer. A negociação com os laboratórios começou em abril de 2020.

“Quarta passada, diante dessas dificuldades e da Janssen e Pfizer não terem nos permitido avançar na compra das vacinas, remetemos um ofício à Casa Civil, que certamente buscará orientação junto a outros órgãos federativos e nos ajudará a encontrar  soluções que extrapolam os limites legais do Ministério da Saúde”, afirmou o Secretário Executivo da pasta, Elcio Franco.

De acordo com ele, os dois laboratórios pedem ao Brasil garantias de pagamento e se resguardam de eventuais efeitos graves que as vacinas possam causar, entre outras dificuldades que nenhum outro fornecedor pediu.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem