CartaExpressa,Política

9 empresas devastadas pela Lava Jato fecharam mais de 200 mil empregos diretos

9 empresas devastadas pela Lava Jato fecharam mais de 200 mil empregos diretos

Sergio Moro e Deltan Dallagnol. Fotos: Antonio Cruz/Agência Brasil e Marcelo Camargo/Agência Brasil

Sergio Moro e Deltan Dallagnol. Fotos: Antonio Cruz/Agência Brasil e Marcelo Camargo/Agência Brasil

Empresas que estiveram na mira da Operação Lava Jato eliminaram 206,6 mil vagas diretas de emprego entre 2013 e 2020.

O registro leva em consideração a Petrobras e as construtoras Odebrecht, OAS, UTC, Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez, Carioca Engenharia e Camargo Corrêa.

Trata-se de uma estimativa realizada pelo site Poder360. A Odebrecht é a companhia que apresenta os cortes mais drásticos, com o fechamento de 94% das vagas diretas: de 126 mil, em 2013, para 7.548, em 2020. Na UTC, eram 16.907 os trabalhadores contratados em 2013 e 1.559 no ano passado.

O número total de empregos diretos eliminados nos anos de Lava Jato, porém, é consideravelmente maior, já que nem todas as empresas que foram alvo da operação informam o número de funcionários demitidos.

De acordo com uma pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, a Lava Jato fez o Brasil perder 4,4 milhões de empregos e 172,2 bilhões de reais em investimentos. O setor mais atingido foi o da construção civil, que perdeu 1,1 milhão de postos de trabalho.

 

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem