Trump anuncia que deixará hospital hoje após tratamento de Covid-19

'Não tenha medo da Covid. Não deixe que isso tome conta de sua vida', tuitou presidente dos EUA

Donald Trump. Foto: Brendan Smialowski/AFP

Donald Trump. Foto: Brendan Smialowski/AFP

CartaCapital,Mundo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, hospitalizado após ser diagnosticado com Covid-19, anunciou na segunda-feira que terá alta às 18h30 (22h30 GMT) e pediu os americanos que não temam o novo coronavírus.

 

 

 

“Vou deixar o grande Walter Reed Medical Center hoje às 18h30. Sinto-me muito bem! Não tenha medo da Covid. Não deixe que isso tome conta de sua vida. Nós desenvolvemos, sob a administração Trump, alguns medicamentos e conhecimentos realmente excelentes. Estou me sentindo melhor do que há 20 anos!”, tuitou Trump, hospitalizado na sexta-feira horas após anunciar sua infecção.

 

 

Trump pode não estar ‘completamente fora de perigo’, diz médico

Embora deva voltar para casa hoje, Trump, pode ainda não estar “completamente fora de perigo”, disse seu médico.

Segundo ele, a saída do hospital é segura porque ele está “cercado por atendimento médico de classe mundial 24 horas por dia, sete dias por semana”.

Conley disse que nas últimas 24 horas Trump continuou melhorando e cumpria as condições para ter alta, mas destacou que a próxima semana será chave para dar um “último suspiro de alívio”.

“Todos estamos sendo cautelosamente otimistas e vigilantes porque nos encontramos em um território desconhecido quando se trata de um paciente que recebeu os tratamentos que recebeu tão cedo” no curso da doença, disse.

 

Remdesivir, regeneron, dexametasona, aspirina e vitaminas

Trump recebeu na sexta-feira na Casa Branca uma forte dose (8 gramas) de um tratamento experimental da empresa de biotecnologia Regeneron. Também é submetido a um tratamento com o antiviral remdesivir, o primeiro a receber uma autorização de emergência contra a Covid-19.

Além disso, desde o sábado, Trump está recebendo dexametasona, um corticoide para doenças graves e pacientes hospitalizados com a Covid que provou reduzir a mortalidade. Esse remédio da família dos esteroides combate inflamações que podem comprometer seriamente os pulmões e outros órgãos vitais.

Trump toma também zinco, vitamina D, famotidina (que pode ser usada contra o refluxo), melatonina (generalmente receitada contra a insônia) e uma aspirina diária, segundo nota de Conley na sexta-feira.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem