CartaCapital

“Se houve irregularidade da minha parte, eu saio”, diz Moro no Senado

Ministro disse não ter nenhum apego ao cargo: ‘que se apresente tudo, vamos submeter ao escrutínio público’

Em audiência no Senado Federal nesta quarta-feira 19, o ministro da Justiça, Sergio Moro, afirmou que está disposto a deixar o cargo, caso sejam provadas irregularidades na sua conduta como juiz. Moro passa o dia em depoimento aos parlamentares para esclarecer os vazamentos noticiados pelo portal The Intercept Brasil.

A fala ocorreu em resposta ao senador Jaques Wagner (PT-BA). O petista indagou se o ministro está disposto a se afastar do cargo, caso novos vazamentos do site resultem numa investigação da Polícia Federal. Para o senador, não é “razoável” que Moro continue no comando do Ministério da Justiça, já que a Polícia Federal precisa de independência para investigá-lo.

O ex-juiz da Lava Jato sinalizou que está disposto a se afastar, se todo o material adquirido pelo Intercept for divulgado na íntegra. “Não tenho nenhum apego com o cargo em si. Que se apresente tudo, vamos submeter ao escrutínio público. Se houver alguma irregularidade da minha parte, eu saio”, disse.

A estratégia de argumentação de Moro no Senado tem sido exaltar o papel da Operação Lava Jato e identificar como “sensacionalistas” as divulgações do editor-chefe do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald. Além disso, reforça que o escândalo é produto de um ataque orquestrado por hackers que desejam, segundo sua teoria, anular condenações ou criar obstáculos aos processos em andamento.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!