CartaCapital

assine e leia

8 de Janeiro/ Quase todos em casa

Moraes manda soltar coronel da PM acusado de omissão nos atos golpistas

Dos mais de 1,5 mil presos após os ataques, apenas 88 seguem encarcerados – Imagem: Joedson Alves/ABR
Apoie Siga-nos no

Aos poucos, o Supremo Tribunal Federal vai aumentando o número de solturas de presos acusados de participar da tentativa de golpe de Estado em 8 de janeiro de 2023, mas ainda sem condenação definitiva. Na terça-feira 14, o ministro Alexandre de Moraes concedeu liberdade provisória ao coronel Jorge Naime, da Polícia Militar do Distrito Federal. Acusado de facilitar a ação dos golpistas, Naime foi o quinto coronel da corporação a ter o pedido de habeas corpus concedido pelo STF. Até agora, já foram soltos 1.557 participantes dos atos. Oitenta e oito ainda seguem encarcerados.

Todos os que ganharam a liberdade provisória cumprem medidas cautelares, mas nem todos aceitam a tornozeleira eletrônica. Ao menos nove bolsonaristas condenados por participação no ataque às sedes dos Três Poderes quebraram os dispositivos que traziam junto ao corpo e fugiram do Brasil. Sete dos fugitivos – em sua maioria mulheres – já foram condenados há mais de dez anos de prisão pelos atos golpistas e agora são considerados foragidos.

Eixo do Mal

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo